Seguidores

Bem Vindo ao Meu Cantinho, Volte Sempre!

Translate my blog into:

visualizações de página

terça-feira, 17 de maio de 2011

Tranquei meu amor aqui dentro


Os beijos que de ti nunca roubei
 Emudeceram meus lábios
Calaram meu grito afoito no peito e desejoso de ti
Triste fiquei

Das noites que em ti pensei
Nunca ninguém por mim soube
Nem suspeitou
Mas sempre te amei

Nossos corpos que nunca se esbarram
 Separados e distantes
 Vivem a trepidar pelos cantos
Um sem saber do outro
 Nunca se tocaram

Hesitei em confidenciar-te meu insólito sentimento
Tranquei meu amor aqui dentro
Fiquei só
Sem alento

Pensei que sofrido era o meu segredo contar-te
 Agora sei
 Com o peito entalado e cheio de ti
 A cor do sofrimento por em mim guardar-te


Vejo seus olhos em cada esquina
Penso em ti em todas as estações
Penso e penso muito..
Será que pensar em ti é minha sina?

Sinto você em cada canção
E no acalanto desses versos que extraem de mim a dor que me inquieta
Deixo um pouco de ti neste papel
Para que caiba mais de mim em meu coração


Por: Jel Lourenzo

17 comentários:

  1. Que declaração mais linda!
    PAssando pra conhecer e já ficando...

    bj.

    Catita

    ResponderExcluir
  2. Oooooun que lindo
    adoreei *-*
    bjos

    ResponderExcluir
  3. Q lindo!!!Muito bom!!!Tem talento!!

    ResponderExcluir
  4. Muito bonito, parabéns. Gostei muito das palavras que escolheu.

    Aguardo a sua visita =)
    Beijos, e boa noite!

    ResponderExcluir
  5. Estou bem acostumado a manter o amor dentro de mim... em segredo.
    Especialmente por ter que permanecer em silêncio, por saber que a outra pessoa não é obrigada a gostar de você da forma que você gostaria.

    E é extremamente doloroso realmente.
    Sinto às vezes como um punhal cravando no peito!
    Mas que fazer, quando amar a pessoa é ter que ficar calado?

    Tem uma frase do Victor Hugo que eu odeio, mas que me ajuda nisso ao mesmo tempo: "Vós, que sofreis porque amais, amai ainda mais. Morrer de amor é viver dele."

    Apesar dessa ser um "viver" que não quero ter hehe

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Sentimentos fortes esses os seus. A ultima frase é muito bela. Gostei muito

    ResponderExcluir
  7. Caracaaa!!! que lindooo!!!meu coração doeu de sentir tanta intensidade!!!
    vc escreve com a alma,isso eh fantástico...me identifiquei com seu poema =/

    ResponderExcluir
  8. óhhhh


    Vc escreve muito bem.
    Que maestria com as palavras.

    http://www.jezeagner.blogspot.com

    e

    http://www.campograndeemfotos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Lindo poema Jél...!Bela declaração...!!

    Beijão!!

    ResponderExcluir
  10. Muito intenso.. Encantador!!
    Parabéns..
    Obrigada pela visita, estou seguindo!
    Abraços
    atividadedavida.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Nossa muito lindo seu poema. Quem nunca sofreu escondendo dentro do peito um amor, em segredo ou simplesmente por saber que o outro não te quer tão próximos, não como você gostaria que fosse.
    É um sofrer, sem querer parar de sofrer.. é como se gostasse da dor, não da dor, mas por não querer esquecer e sim ficar com ela para sempre.

    Beeijos

    ResponderExcluir
  12. Muito lindo, sensível... suspirei aqui! Rs
    Parabéns!
    Venha dá uma espiada!
    Abraços
    http://uaimeu10.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Passa lá no meu blog, tem um selo para vc :

    http://comentariocriticoo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Uauuu! Que linda poesia Jel! Da pra sentir todo esse sentimento em cada verso... Adorei!
    Tb tenho um novo presentinho pra vc:
    http://1.bp.blogspot.com/-ebUrriPrWN0/TdSOVFWU33I/AAAAAAAAAjU/0xiyr9eRlcg/s1600/selinho+6.jpg

    Grande beijo!
    Luiza

    ResponderExcluir
  15. Jel,

    Lindo!

    Agradeço a visita e os comentários, tomei a liberdade de criar um link do meu blog ao seu.

    http://souriresetlarmes.blog.fr/disp/bloglist/73014/

    E os anjos com bordas douradas sou eu te seguindo.

    Bom domingo, bisous.

    Melina Coury
    http://souriresetlarmes.blog.fr/

    ResponderExcluir